Para você

Últimas Notícias e artigos

COLEIRO DE RODA

03 de Março de 2017

Meu coleiro serve pra roda?

Muitas pessoas passam quase a vida toda tentando quebrar a cabeça a respeito desse assunto. Tenho um coleiro que destrói na rua, em baderna e na minha casa, mas não canta na roda. Como faço pro meu coleiro enfemar pra roda? Como essas e muitas outras perguntas entendemos que o coleiro é tratado nada mais nada menos como se fosse um jogo de xadrez. Temos coleiros hoje em dia que em casa não canta nada e quando chega na roda destrói, também temos coleiros que não gostam de fêmeas e que se dão bem na cruz de ferro, estes são realmente raros. Todos no nosso meio, entendemos que os coleiros são pássaros territorialistas, que cantam pra demarcar sua autoridade dentro do seu território e que na natureza eles andam em bando quando não estão na época de reprodução. Enquanto a fêmea está chocando em um determinado lugar, o macho fica o dia inteiro cantando, informando que ali é o lugar dele.

A mesma coisa acontece nos torneios, os coleiros estão demarcando seu território, avisando pra todos que está com a sua fêmea e que ninguém era pra estar ali, somente ele. É ai que entra a resposta: nem todo coleiro muda de local “casa” para o local do torneio e aceita demarcar o seu território. Como se diz muito: lá é onde o filho chora e a mãe não vê. Cada coleiro tem seu estilo de enfemar, ai já entra o modo que ele gosta de ver a fêmea pra se sentir confiante e encarar a roda. Muito poucos ficam a semana toda com a fêmea e quando são retirados da mesma demarcam seu território normalmente, outros se forem colocados desta maneira sentem falta dela rapidamente, e não cantam, dizemos “que passou de fêmea”. A maioria dos machos de torneio precisam de pouca fêmea, ou seja, um dia antes ou até mesmo dois a três dias antes do torneio. Alguns gostam de ver a fêmea de longe, outros pelo furinho de tala de papelão, outros apenas sentir que ela está ali e ficar escutando o piado delas, alguns gostam de ver a fêmea pelo vulto, voando através de um pano fino onde se vê apenas a sombra. Todos devemos entender a reação do que estamos fazendo, uns calam ao ver a fêmea, outros cantam, e enquanto a fêmea não aceitar, eles não param de cantar. A maioria gosta de fêmea fria, ou seja, fêmea que mal pia ou que façam o coleiro macho ter de fazer ela aceitar ele. Alguns coleiros gostam de ver outros coleiros machos frios, chamados de Xia. Venho informar a todos que é o coleiro que escolhe a fêmea, não você. Então todos devemos estudar o nosso coleiro, dar um belo trato, tentando sempre o agradar, pois o coleiro é igual a uma criança, quanto mais atenção você dá, mais ele lhe dará retorno. Também, se fosse fácil ninguém criava.

Em nome do site ocoleiro.com desejo a todos um Coleiro Top nas rodas. Espero que tenha ajudado e para qualquer dúvida estou a disposição.

Marcelo Soares de Oliveira 29/02/2016 Belo Horizonte/MG

fonte: http://www.ocoleiro.com/destaques/coleiro-de-roda/

GAIOLAS DE COLEIRO. QUAL DEVO USAR?

03 de Fevereiro de 2016

É muito importante saber qual é o tamanho da gaiola que você vai utilizar para manter o seu coleiro, e para qual finalidade ela será utilizada. O tipo de gaiola influenciará e muito em cada uma destas três vertentes. No meu caso, utilizo gaiolas de passeio e voadores para machos. Já as fêmeas ficam nas gaiolas de reprodução.

Hoje em dia a maioria dos criadores de coleiro tem em mente três objetivos:

Apreciação – Pessoas que gostam do canto e tem alguns em casa sem maiores objetivos.
Reprodução – São criadores amadores que reproduzem os coleiros em suas casas.
Torneio – Criadores que visam a disputa em torneios de canto.
No caso da apreciação, é importante que a ave tenha uma gaiola espaçosa para se exercitar durante toda a sua vida, com o intuito de ter saúde ao se exercitar durante os vôos.

Recomendação: gaiola nº5 ou maior, tanto para fêmea ou para o macho.

Na reprodução, existem gaiolas feitas para o macho reprodutor e para a fêmea. A fêmea deve ficar em gaiola grande, preferencialmente em gaiolas de ferro ou inox por questão de higiene, onde a fêmea provavelmente passará toda a sua vida reprodutiva neste tipo de gaiola, portanto a gaiola tem mais espaço do que a gaiola do macho reprodutor. O macho fica em uma gaiola pequena, e esta facilitará a gala por ter passadores em ambos os lados, preferencialmente em gaiolas de ferro ou inox por questão de higiene também, porém nos períodos de muda e preparação para a época de reprodução, os machos devem ficar em voadores grandes para se exercitarem, manterem a boa forma e a sua fertilidade, pois, boatos correm sobre machos confinados terem perdido a fertilidade ao longo do tempo.

Para torneio a gaiola é menor e tem a numeração padrão 3 ou 3,5. De acordo com as regras, podem se utilizar até 6 poleiros para travar a ave (ou seja, ela voa menos e canta mais), mas essa gaiola pequena serve apenas para a disputa ou para o passeio. Ao chegar em casa todo criador deve ter um voador para manter o seu coleiro de torneio, visando boa forma e disposição para o canto. A capa é muito importante neste caso, tanto no voador quando na gaiola de torneio.

Nossos Projetos