Para você

Últimas Notícias e artigos

Capri Online n°44

19 de Setembro de 2019

A PAIXÃO NO FUTEBOL

 

A paixão no futebol é tão intensa, que o brasileiro pensa, ouve, lê, discute, assiste sobre esse esporte, desde o despertar até o repousar, todos os dias, e em muitas ocasiões já se falou que temos técnicos em nosso país, tanto quanto é o número de habitantes.

Cada um tem uma predileção, existem pontos de vistas diferentes, como também existem pontos de vista convergentes, quer seja por clubes, por jogadores, por convocados para a seleção brasileira, e outros. Comenta-se sobre jogo, atuações de jogadores, lances polêmicos, assistem tapes, e democraticamente casa um tem seu entendimento e interpretação. Além disso, existe a questão dos níveis de entendimento pelos quais se situam individualmente, pois, uns são técnicos profissionais, outros comentaristas, outros simplesmente adeptos.  

 

 

A PAIXÃO DO MATENEDOR DE CURIÓ DE CANTO
 

A paixão do curiozerio não é diferente, pois adeptos pensam, ouvem, leem, assistem vídeo desse canto maravilhoso e apaixonante, também, desde o despertar até o repousar, todos os dias. E em reunião de amigos, “rolam” as conversas sobre suas predileções e pontos de vistas diferentes e convergentes, quer seja pelo canto de um determinado curió, da classificação do último torneio, da atuação do julgador de interpretações polêmicas e outros assuntos. Sem dúvida nenhuma, entre os curiozeiros, também existe a questão do dos níveis de entendimento nos quais se situam individualmente.

Tudo isso é “Legal”, pois, estamos vivendo num país, em pleno estado democrático, onde todos tem o direito de opinar e em contrapartida, o dever de respeitar as opiniões. São essas as discussões que levam ao desenvolvimento, tanto do entendimento do regulamento, da forma de disputa do campeonato. 

A PAIXÃO NO FUTEBOL

 

A paixão no futebol é tão intensa, que o brasileiro pensa, ouve, lê, discute, assiste sobre esse esporte, desde o despertar até o repousar, todos os dias, e em muitas ocasiões já se falou que temos técnicos em nosso país, tanto quanto é o número de habitantes.

Cada um tem uma predileção, existem pontos de vistas diferentes, como também existem pontos de vista convergentes, quer seja por clubes, por jogadores, por convocados para a seleção brasileira, e outros. Comenta-se sobre jogo, atuações de jogadores, lances polêmicos, assistem tapes, e democraticamente casa um tem seu entendimento e interpretação. Além disso, existe a questão dos níveis de entendimento pelos quais se situam individualmente, pois, uns são técnicos profissionais, outros comentaristas, outros simplesmente adeptos.  

 

A PAIXÃO DO MATENEDOR DE CURIÓ DE CANTO
 

A paixão do curiozerio não é diferente, pois adeptos pensam, ouvem, leem, assistem vídeo desse canto maravilhoso e apaixonante, também, desde o despertar até o repousar, todos os dias. E em reunião de amigos, “rolam” as conversas sobre suas predileções e pontos de vistas diferentes e convergentes, quer seja pelo canto de um determinado curió, da classificação do último torneio, da atuação do julgador de interpretações polêmicas e outros assuntos. Sem dúvida nenhuma, entre os curiozeiros, também existe a questão do dos níveis de entendimento nos quais se situam individualmente.

Tudo isso é “Legal”, pois, estamos vivendo num país, em pleno estado democrático, onde todos tem o direito de opinar e em contrapartida, o dever de respeitar as opiniões. São essas as discussões que levam ao desenvolvimento, tanto do entendimento do regulamento, da forma de disputa do campeonato. 

O JULGADOR DE CANTO DE CURIÓ

 

O julgador de canto do curió é, sobretudo, um curiozeiro. Esse foi escolhido, fez cursos, e é testado na prática. Suas atuações é que vão ditar a continuidade, ou não, embora existam, os que, por seus motivos desistem de julgar. Mas lembre-se é um ser humano e sujeito a erros, assim como é o arbitro de futebol. Via de regra, nem julgador de canto de curiós, e nem árbiro de futebol, muda o resultado por reclamações, a não ser que o expositor tenha fortes argumentos, muito bem embasados no regulamento.

 

O EXPOSITOR DE CANTO DE CURIÓ

 

O expositor de curiós é o personagem principal de um torneio, pois é ele quem conduz o astro que deve brilhar nas manhãs de domingo.

Normalmente, esses personagens, como um entendi que é, faz a avaliação da apresentação do seu pássaro. Daí, ele sai das proximidades da estaca, conversa com um, volta às proximidades da estaca, ouve um outro curió, vai tomar café, etc.

Quando sai o resultado, fica pasmo com a colocação do seu pássaro, pois, em sua classificação, ele foi muito bem e merecia uma classificação melhor.

Nada contra o seu argumento, pois ele tem o direito de fazê-lo e sua opinião deve ser respeitada.

Todavia, há que se considerar, que ele não esteve o tempo todo nas proximidades da estacas, não ouviu a apresentação de todos os concorrentes, não ficou atento a todos os detalhes das apresentações.  

 

COMO CONSTRUIR UM FORTE ARGUMENTO

 

Quando não atuamos, temos por hábito, não comentarmos os resultados, tenho em vista os aspectos citados, mas principalmente, porque não estamos no clima do julgamento.

Para construirmos fortes argumentos a serem considerados, o expositor deve deixar a sua paixão e ouvir o seu e totós os pássaros da estaca, em clima de julgamento, sendo crítico e comparativo, tendo o regulamento em sua mente.

Considero isso difícil, porém existem alguns curiozeiros, que sabem muito bem, proceder dessa forma. Esses já estão em níveis e estágios avençados no entendimento do canto de curiós, e poderiam, se desejarem, se colocar à posição para serem escalados nos julgamentos.

Tenho opinião favorável, para que o expositor aproveite os instantes após a divulgação do resultado, para dirimir eventuais dúvidas, exatamente para o seu crescimento no conhecimento, e até dar um feed-back ao julgador.

Entretanto, é desejável não se exaspere na divergência nesse momento, pois, um julgador, após o trabalho mental de 5 ou 6 horas, estará completamente exausto, e a probabilidade de não haver concordância é enorme.

 

COMO PROCEDER NA DIVERGÊNCIA NÃO ESCLARECIDA.

 

Quando não há concordância, o expositor deve fazer sua reclamação por escrito, diretamente a um dos membros do departamento de canto de curió FOESP, que encaminhará a diretoria, para tomada de providências cabíveis.

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

Quanto mais alto for o nível de entendimento dos cruzeiros mais elevados serão os níveis dos torneios, e a vida do julgador, será mais fácil, pois haverá alinhamento no entendimento, e o diálogo será muito mais compreensível entre as partes.

Nessas condições, as notas atribuídas aos pássaros poderiam ser anunciadas de forma “online”, com classificação divulgada do início ao fim do torneio.  

 

 
Imagem sem descrição.
 

Especialistas querem salvar duas espécies da extinção

Participantes do workshop (Foto Parque das Aves)

Especialistas em conservação se reuniram durante quatro dias (19 a 22 de agosto) e criaram um plano de emergência para salvar duas espécies de aves brasileiras da iminente extinção, a rolinha-do-planalto (Columbina cyanopis) e a choquinha-de-alagoas (Myrmotherula snowi). No mundo restam menos de 20 indivíduos de ambas espécies. O workshop, realizado em Foz do Iguaçu, reuniu 29 especialistas de 15 instituições renomadas do mundo inteiro, incluindo biólogos que trabalham diretamente com as duas espécies em campo, especialistas em reprodução sob cuidados humanos, pesquisadores e conservacionistas.
Eles já planejaram ações de emergência, com atividades dentro dos Planos de Ação Nacional para a Conservação das Espécies, explica Eduardo Barbosa, do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Aves Silvestres, do ICMBio. Os especialistas querem aumentar o conhecimento sobre as espécies e protegê-las em seu habitat natural. E como parte do plano, o grupo discutiu métodos para levar ovos com segurança aos cuidados humanos e criar uma grande população de aves dessas espécies para serem devolvidas à natureza. Simultaneamente, as equipes no campo trabalharão para reduzir as ameaças que causam o declínio das populações.
Segundo o biólogo Carl Jones, a criação sob cuidados humanos só deve ser considerada em circunstâncias muito particulares, mas quando a população de uma espécie está reduzida a tão poucas aves, ela precisa ser uma opção. Se técnicas adequadas puderem ser desenvolvidas para levar os ovos dessas espécies para o cuidado humano sem impactos negativos nas populações na natureza, elas serão mantidas em um local não revelado, no Brasil, garantindo sua segurança.


Rolinha-do-Planauto

 (Columbina Cyanopis)

Choquinha-de-Alagoas

 (Myrmotherula snowi)

 

SIGA-NOS NAS

REDES SOCIAIS...

Imagem sem descrição.
 

 atendimento@anilhascapri.com.br

 

 (11) 3076-7878

 

 

 

Nossos Projetos

WhatsApp